Notícias

Caixa amplia facilidades para estimular a compra de imóveis

Postada em 26/05/2020 às 10:11:38

Compartilhar:

Caixa amplia facilidades para estimular a compra de imóveis
Além da pausa nas prestações do financiamento imobiliário em contratos antigos, a Caixa ampliou para seis meses a carência para pagamento das parcelas em novos contratos

Mesmo em meio à crise econômica provocada pela pandemia, o segmento imobiliário está buscando meios para se manter aquecido.

Algumas medidas já existiam com o objetivo de fomentar setor, enquanto outras foram tomadas recentemente para mitigar os efeitos da crise, como o adiamento de parcelas do financiamento imobiliário na Caixa Econômica Federal. A princípio, era possível adiar as prestações por até três meses. Agora, a pausa emergencial foi ampliada para quatro meses.

Com juros menores do que nos bancos privados e por ser responsável pelos financiamentos do programa Minha Casa Minha Vida, a Caixa lidera no Brasil o ranking do crédito imobiliário. Recentemente, o banco passou a oferecer carência de seis meses em novos contratos de financiamento de imóveis para pessoas físicas como incentivo ao setor imobiliário frente à crise provocada pelo coronavírus.

Na prática, isso significa que quem acabou de financiar um imóvel pelo banco consegue segurar o pagamento das parcelas por esse tempo. A medida vale para contratos assinados depois do dia 13 de março. "A compra do imóvel proporciona um respiro de seis meses no bolso do consumidor. Ou seja, quem pode comprar, vai poder usufruir dessas medidas na prática e passar pela crise com uma conquista tão importante que é a casa própria", avalia o corretor imobiliário Ícaro Torquato.

Além da carência no financiamento, a queda nos valores dos imóveis também tem atraído compradores. Além disso, os juros baixos facilitam a vida de quem pretende financiar, já que a Selic atingiu uma taxa histórica e hoje está fixada em 3% ao ano. A Caixa já adotava algumas medidas para fomentar o ramo imobiliário e elas continuam valendo, mesmo na pandemia, como é o caso da porcentagem de apenas 5% de entrada do valor do imóvel.

Portabilidade
Para quem já comprou um imóvel e agora vê uma oferta de juros menor em outra instituição financeira, é possível fazer a portabilidade de crédito, ou seja, levar a dívida de um banco para outro, de modo que o consumidor consiga reduzir o valor das parcelas e melhorar as condições.

Para fazer a portabilidade de crédito é preciso entrar em contato com a instituição financeira que ofereça as condições mais confortáveis e solicitar a troca. A documentação será submetida a análise e aprovação por parte da instituição para a qual a dívida será transferida. Feito isso, o próximo passo é assinar os contratos.

Vale lembrar, no entanto, que olhar apenas os juros e ver qual é mais baixo não é garantia de economia. A orientação dos especialistas é observar o Custo Efetivo Total (CET), indicador que aponta com mais clareza qual banco é mais vantajoso.

Fonte: Por: Núcleo Digital - Diário da Região

Outras notícias

Enviar mensagem
Me Chame no WhatsApp